sexta-feira, março 14, 2008

trago-Te os que...

No múrmurio da noite que cai,
uma vez mais como viandante do infinito,
aqui me tens a Teus pés...
Trago-Te aqueles que aqui não podem estar
os que andam tristes, cansados, abatidos,
amedrontados...
Trago-te os que estão sós,
os que se ausentaram de si eternamente,
os que vagueiam pelo vazio de uma noite que teve começo e parece não mais ter fim...
Trago-Te os que choram e os que já não conseguem chorar,
os que se convenceram que já não vale a pena esperar...
Trago-te os que Te procuram sem Te ver
os que Te desejam sem Te encontrar
o que já não sabem se Te amam ou se os amas...
trago-Te o meu coração que sofre com eles
e como um viandante que se deixa guiar pela Tua luz
faço caminho em Ti e conTigo
nesta noite que se abre à manhã
e que sabe que o raiar do novo dia
(re)começa sempre com o balbuciar da Esperança!

5 comentários:

Anónimo disse...

Pois é, quem escreve não só com as mãos mas, também com o Coração acaba assim, num bom Padre.
(Peregrino)

Maria João disse...

Rezemos sempre por quem não o faz... para os iluminar e para que venham a conhecer Cristo.


beijos em Cristo

Maria João disse...

Uma Santa Páscoa.
Visita o meu blog e participa na novena da Divina Misericórdia de Jesus.


bjs em Cristo e Maria

elsa nyny disse...

Santa Páscoa pa ti!
E Feliz Aniversário neste dia cheio de Luz, Paz e Amor de Jesus!

Bjtssssssss

Caminhante Andante disse...

O fim da noite inicia-se no amanhecer de um novo dia; mas o que acontece é que por vezes o sol é incoberto pela escuridão da noite, acabando por não se dar conta que o sol já despertou e que brilha. É dificil olhar para cima quando a têndencia é para o inverso.
Rezo por todos os que nem sempre conseguem ver o brilho do Sol.