terça-feira, dezembro 25, 2007

É NATAL.....

Para os que caminharam na noite
Vem a Luz.
Para os que aprenderam a esperar
Vem o Caminho.
Para os que souberam escutar
Vem a Palavra.
Para os que buscaram sentido para a morte
Vem a Vida.
Eis o mistério desconcertante do Deus connosco:
Um Deus que nos salva
não da nossa humanidade mas através dela.

sábado, dezembro 08, 2007

Imaculada...


Ó Maria,
Mãe de Cristo e Mãe da Igreja,
Confiados na Tua intercessão maternal
Queremos neste dia consagrar-Te
O nosso seminário, os seus formadores,
alunos e famílias.
Tu conheces o que somos e o que nos faz falta,
Por isso Te pedimos, ó Mãe de Misericórdia:
Ensina-nos a dizer sim ao projecto de Deus.
Leva-nos a Jesus
pois sem Ele nada podemos fazer.
Na hora das dúvidas, do medo ou do desespero
ensina-nos a permanecer unidos à cruz do Teu Filho,
como Tu, outrora,
permaneceste com o discípulo amado.
Na hora do erro, do pecado,
Ensina-nos a humildade para irmos com confiança
Beber o dom da misericórdia nas fontes da salvação.
No tempo da festa, da alegria, do sucesso
Ensina-nos a prostrarmo-nos e a adorar
O Verbo Eterno e Santo
que se fez para nós Pão da Vida plena.
Com o Teu amor de Mãe e de discípula
Ensina-nos a levar ao mundo a Ternura de Deus
Em gestos quotidianos de acolhimento, comunhão,
unidade e fraterna compaixão.
Ensina-nos, por fim,
a estarmos atentos e disponíveis para acolher,
como Tu outrora no cenáculo, o Espírito Santo,
de modo que seja Ele a guiar todos os nossos passos.
Com a confiança de Filhos,
E certos da Tua materna intercessão,
Nós te clamamos neste dia:
Ó Maria concebida sem pecado,
Rogai por nós que recorremos a vós.

Ámen.

terça-feira, dezembro 04, 2007

No silêncio...

No silêncio dos gestos simples,
Na ousadia das palavras proféticas,
Uma voz clama…
E que diz ela?
Diz que a Fé é entregar-se,
Que o Amor é dar-se,
Que é Sábio aquele que serve,
Que o silêncio é Deus em nós,
Que a Cruz é salvação:
Loucura para os que se perdem,
Mas para nós força de Deus
(cf. 1 Cor. 1, 18)

terça-feira, novembro 20, 2007

Tu és assim...uma vez mais!


Senhor,
eis-me aqui junto de Ti,
como tantas outras vezes...
Quando já tudo parece perdido Tu,
o Eterno viandante no coração dos homens,
surpreendes-me na simplicidade de um gesto,
na sinceridade de uma proximidade,
no simples desabafo de alguém que estva longe.
Hoje sou feliz por me surpreenderes uma vez mais!
Tu és assim,
sempre que penso cruzar os braços
e assim fechar o coração,
logo Tu me devolves o fogo e as esperança
para prosseguir a marcha
nos trilhos da confiança, da simplicidade,
da humildade dos passos dados num silêncio fecundo e libertador.
Rogo-Te
concede-lhe a paz de que precisa para Te reconhecer e acolher uma vez mais
como o Deus Terno e Misericordioso,
concede-lhe a Alegria de se sentir de novo
um pródigo acolhido no banquete do Amor eterno
concede-lhe a Esperança e a confiança de que necessita
para dar em cada dia os passos certos e seguros
neste caminho que é o Teu próprio Filho.
e quando vier a noite,
quando o brilho das estrelas ficar ofuscado pelo desanimo
concede-lhe a graça de rezar com simplicidade:
"nada te pertube...espante...só Deus basta!"

domingo, novembro 18, 2007

ainda há lugar para a vida eterna?...

acabrunhados e tristes
na longa via-sacra da vida
os homens e mulheres deste tempo
correm, correm...
na incerteza
de um futuro que talvez não tenha "amanhã",
na angústia de um passado que já não podem mudar,
na corda bamba de um presente vazio de ideias, de ideais, de...
é a amargura de quem sente o peso dos dias,
das rotinas de cada amanhecer mais ou menos sombrio,
das noites sem luar e sem estrelas.
no meio de tudo isto
ainda há lugar para a vida eterna?

Sim!
nas noites sem estrelas Deus faz-se Luz,
nas vidas desgarradas, humilhadas, sofridas Deus faz-se presença
na angústia, desespero ou solidão Deus torna-se o rosto da esperança.
e só assim se descobre o segredo do Eterno no tempo
a certeza de que a vida eterna (re)começa de cada vez que a vida é Terna!

Parabéns Rita R.

Senhor,
como viandante no meio da humanidade,
hoje venho a Ti com um coração radiante
por esta minha irmã que celebra o dom da vida.
Com ela tenho aprendido a ser mais Teu,
a ser um peregrino simples, humilde, alegre, generoso...
Por ela tenho sido desafiado a lançar-me confiadamente
nos Teus braços de Pai,
com a certeza de que mesmo na noite mais escura
Tu serás sempre luz, vida, amor.
Por isso neste dia,
fazer festa significa em primeiro
reconhecer-Te muito presente no seu rosto,
no seu sorriso largo que semeia eternidade
nos corações de quantos a conhecem.

Significa também sentir-Te
no seu coração sempre sedento de dar mais,
de amar segundo a medida e a lógica do Teu filho.
um coração que mesmo na noite vive inquieto
para que outros saibam que Tu és a Luz,
a esperança, a verdade, a Vida que vale a pena viver,
anunciar, testemunhar, celebrar...
um coração que mesmo ferido arranca de si,
do seu intimo mais intimo,
o desejo imenso de se lançar nesta aventura
de uma vida que só vale pela profundidade
de cada gesto, palavra ou sentimento partilhado.

Fazer festa significa por fim acolher-Te
quando por ela vens até mim,
ferido, cansado, angustiado...
"sem rede" ou "sem médios"
no túnel escuro e frio
que tantas vez uma vida ousada e simples
tem de atravessar.

Por Tudo isto,
e por tudo aquilo que as palavras gratas de um peregrino
não são capazes de dizer, de rezar...
obrigado meu Deus.

quarta-feira, novembro 14, 2007

"queremos padres" ou "que padres queremos"?


Decorre entre nós portugueses mais uma semana dos seminários...


Para muitos é mais uma semana (entre muitas outras) daquelas que a Igreja organiza todos os anos.


Para outros esta semana aparece como um grito desesperado da Igreja para "arranjar padres" pois segundo as estatisticas "as coisas andam num nível baixo"...


Para mim esta semana tem cada vez mais razão de ser não tanto para dizermos que queremos padres mas antes para na profundidade orante de uma Igreja que pensa nos questionarmos sobre os padres que queremos.

Um pouco do que penso vem expresso AQUI (embora a introdução do jornalista à entrevista diga a certa altura o contrário daquilo que afirmo!)

terça-feira, novembro 13, 2007

Parabéns J.A.


Hoje, Senhor,
Dou-Te graças por fazeres deste meu irmão
um pedaço de Ti dado à humanidade
para curar, sarar, acolher, perdoar...
nele Tu Te manifestas como a fonte da sabedoria,
o Deus do Amor e do Humor,
que inquieta os corações que querem ver mais além.
Obrigado por nele Te fazeres dom para todos,
um Pai providente e próximo,
um Deus das surpresas,
um rasto do eterno no tempo
uma luz para a noite de tantos.
no silêncio das palavras
e de uma gratidão imensa
aqui fica, ò Deus,
a oração de um filho Teu
que Te dá graças pelo ministério
deste Teu, meu...nosso irmão.

sexta-feira, novembro 09, 2007

"encosta-te a mim e deixa-te estar..."

A Ti meu irmão Padre Obrigado por seres o que és, não me desiludes mesmo quando és frágil, mesmo quando...
Estou contigo sobretudo nesta hora dificil!

Sim, eu sei que vens ferido de novo
ao meu encontro...
Na estrada da vida
sentes-te um viandante perdido,
desencontrado
emudecido pela dor,
o sofrimento, a vergonha, o medo...
sentes que falhaste contigo, comigo,...com Deus.
No reboliço de um coração desencontrado
apenas vês vielas sem saída,
noites sem estrelas,
lugares onde já não estás e para onde não queres ir.
Queres parar talvez sem saber porquê, onde, com quem...
apenas sabes que quem ama sofre,cuida, cura, chora,
e nas lágrimas salgas a vida com o tempero da ressurrreição.
É assim que queres continuar
um curador ferido
sempre pronto a sarar os que de ti se abeirarem
mesmo que as tuas feridas sangrem,
mesmo que o teu coração sofra,
mesmo que as tuas mãos cansadas de se erguerem para o céu
caiam agora por terra
sem nada para dar a este Deus louco e enamorado por Ti,
que apenas te pede que te deixes abraçar
e sussurrando-te com a brisa da eternidade diz-te:
"encosta-te a mim e deixa-te estar...
Tu pertences-me, não temas,
coloca-te nas minhas mãos e dá-me as tuas".

terça-feira, novembro 06, 2007

Missão JP2



Nasceu oficialmente no Domingo (4 Novembro) mas já antes andava no coração. são 16 os audazes que aceitaram a ousadia de se tornarem testemunhas do rosto belo de Cristo Crucificado-Ressuscitado.

Animados pelo Testemunho do Grande Papa João Paulo II, iniciámos um caminho de formação e animação missionária que nos levará ao Brasil em agosto de 2008...

com a mesma ousadia de sempre lançamo-nos no coração daquele que é a nossa Alegria e a nossa Esperança. Podes visitar a nossa casa AQUI

quinta-feira, novembro 01, 2007

Ser Santo....


O santo é um pecador arrependido que se deixou revestir com o manto da misericórdia do Pai, que aceitou o convite para se sentar na mesa do Banquete das núpcias do Cordeiro e que se deixou desassossegar pelo Espírito Santo percebendo que outra coisa não é senão um discípulo enviado aos confins da terra.


é por isto que ser santo não é o mesmo que ser...santinho!

sexta-feira, outubro 26, 2007

A gratuidade do perdão desconcerta(-me)...


uma palavra de Gratidão a um irmão Padre que muito admiro!



hoje sinto-me pequeno...
(aliás raramente me sinto grande)
e com os olhos ainda marulhados pelas lágrimas
choro como alguém que jubilosamente faz festa.
Sim, um padre também chora!
Chora porque é Pai e é irmão,
chora sempre que percebe que traz nas mãos e no coração
um Mistério que o supera,
o Mistério de um Deus-Amor que desconcerta a inteligência
e comove o coração....
Na sinceridade da partilha,
na verdade de quem se sente mendigo de Ti,
do Teu amor, do Teu perdão,
pude ser instrumento de re-vitalização,
de pacificação, de encorajamento...
Senti-me frágil com este meu irmão fragilizado,
senti-me pequeno diante da grandeza do seu arrependimento,
senti-me instrumento quando li no seu olhar as lágrimas da paz
de um coração reconstruído,
de uma vida ressuscitada!

Mais desconcertado fico aqui e agora
a olhar-Te e a deixar que sejas em mim
a paz, o perdão, a alegria, a vida...
Faz-me bem sentir-me pequeno,
ser pequeno...
é assim que o meu coração se desconcerta
diante da gratuidade infinita do perdão, do Teu perdão!

terça-feira, outubro 16, 2007

Não te esqueço!

Faz Hoje 29 anos que brotava na Igreja este grande rebento de esperança!
"Não tenhais medo!" foi o lema para uma viagem que nos aproximou mais a todos daquele Deus que ama sem medida. e porque recordar é trazer ao coração aqui fica este sinal de um filho espiritual de João Paulo II, O Grande! Ó Trindade Santa,nós vos agradecemos
por ter dado à Igrejao papa João Paulo IIe por ter feito resplandecer nele
a ternura da vossa Paternidade,

a glória da cruz de Cristo eo esplendor do Espírito de amor.

Confiado totalmente
na vossa infinita misericórdiae na materna intercessão de Maria,


ele foi para nós uma imagem viva
de Jesus Bom Pastor,indicando-nos a santidadecomo a mais alta medida da vida cristã ordinária,caminho para alcançar a comunhão eterna convosco.Segundo a vossa vontade,
concedei-nos, por sua intercessão,a graça que imploramos,na esperança de que ele seja logo inscrito no número dos vossos santos.Amém.


Com aprovação eclesiástica CARD. CAMILLO RUINI
Vigário General do Santo Padre para a Diocese de Roma


segunda-feira, outubro 15, 2007

Não sei mais que dizer-te...

Não sei mais que dizer-te
ò Ousadia que me queimas
e me impeles a ser inteiro em cada gesto,
palavra ou pensamento...

Fugir de Ti?
fechar-te a porta?
angustiar-me?...

apenas sei que me rendo a Ti em cada dia
pois seduzes-me
não porque me digas muitas coisas
mas porque me encanta o Teu silêncio.
e louco de amor
aceito o risco de em cada passo
me sentir frágil,
de me fazer próximo
mesmo ferindo-me,
aceito a loucura
de me deixar amar
mesmo sendo um pródigo,
e ousadamente,
porque me preenches,
na noite dos sem luz,
faço-me voz da esperança
dessa que só Tu és e dás.

domingo, outubro 14, 2007

doce repouso....

no silêncio das palavras,
deixando-me envolver pela ternura,
ouço o sussurro da Tua voz
doce, quente....
meigamente me envolves
e num terno afago
enches-me de Ti,
e assim sou mais eu,
pois sou conTigo.
E agora que repouso no Teu colo,
qual criança embevecida
pela magia de uma noite estrelada,
fico aqui,
junto de Ti,
no Teu peito,
e serenamente repouso
como um viandante cansado do caminho
na certeza de que amanhã virei de novo aqui
sabendo que já me esperas...
...porque sou Teu!

segunda-feira, outubro 08, 2007

em Retiro!

Desde hoje e até quinta-feira estou em retiro com os 11 que chegaram e que constituem o novo ano.São uma semente de esperança para as suas igrejas diocesanas. rezemos por Eles e com Eles.





Serve de mote a este retiro o V.8 do Salmo 27:


é o Teu Rosto que procuro, Senhor!


São dias em que todos e cada um de nós procuraremos o Rosto belo e Ressuscitado de Deus em Cristo e, animado pelo Espírito Santo, partiremos com a ousadia dos Santos para anunciar ao mundo a Ternura e a misericórdia de Deus.

sábado, setembro 29, 2007

“Tu, homem de Deus”... quando a palavra nos (in)quieta

A propósito da Palavra deste Domingo:


Da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo a Timóteo (1 Tim 6,11-16)

Tu, homem de Deus, pratica a justiça e a piedade, a fé e a caridade, a perseverança e a mansidão. Combate o bom combate da fé, conquista a vida eterna, para a qual foste chamado e sobre a qual fizeste tão bela profissão de fé perante numerosas testemunhas. Ordeno-te na presença de Deus, que dá a vida a todas as coisas, e de Cristo Jesus, que deu testemunho da verdade diante de Pôncio Pilatos: guarda este mandamento sem mancha e acima de toda a censura, até à aparição de Nosso Senhor Jesus Cristo, a qual manifestará a seu tempo o venturoso e único soberano, Rei dos reis e Senhor dos senhores, o único que possui a imortalidade e habita uma luz inacessível, que nenhum homem viu nem pode ver. A Ele a honra e o poder eterno. Ámen.

Na voragem do tempo,
mergulhado muitas vezes em tantos afazeres,
venho a Ti...


Sou um buscador do eterno,
às vezes com medo, outras confuso
e quantas outras em que sou peregrino na noite
como sentinela que procura a aurora
caminhando no meio da confusão e da angústia do tempo presente.
Chamam-me homem de Deus!

Alguns esperam de mim tantas coisa,
Muitos outros esperam que faça, que saiba, que diga…
Estes muitas vezes pensam que o homem de Deus
é um fazedor de coisas, isto é,
alguém que esquizofrenicamente corre de lado para lado
sem nunca se encontrar.

Outros há que me questionam com a sua (aparente) indiferença
E eu, como criança que mal sabe medir os passos,
Recomeço sempre,
Com a mesma alegria e gratuidade
e com a tenacidade de quem sabe
Que “só Tu és o caminho e a força”
Pois sinto que deve ser assim o Homem de Deus.

Também há outros que comungam comigo
da mesma vida que me vem de Ti
e deste ousadia de ser!

Há muitos que me desafiam quotidianamente
a ser em Ti, a ser contigo.
Esses apenas esperam de mim
que partilhe o dom da fidelidade,
da simplicidade e da alegria
e desafiam-me a ser
semeador da esperança que não tem ocaso,
do amor que não tem medida,
da Vida que não tem fim.

Para Eles o homem de Deus
é o que lhes dá Deus!
O que parte e reparte com eles o Pão da Vida
e que celebra em cada recomeço o dom da misericórdia do Pai.

E Tu,
que me chamaste a ser Homem de Deus,
Nunca deixes de me sustentar e nutrir com o Teu amor,
Pois sem Ti nada sou…

Na hora da dúvida
sê a minha paz,
Na hora da confiança
ensina-me a prostrar-me e a adorar-Te,
Na hora das trevas faz-me ver as estrelas na noite
E lembra-me que elas são sempre o prenúncio do dia.

quarta-feira, setembro 26, 2007

indeciso?...

Uma vez mais a Mafalda...
Quantas vezes a nossa vida não é conduzida pela "doce indecisão" vamos caminhando sem saber para onde, com quem,..mas vamos! Num tempo às vezes tão frágil, demagógico e incoerente há que ousar, não ter medo...
Para mim só há um remédio para a indecisão: a ORAÇÃO, é dela que brota a convicção. Nasce aqui também a acção, que assim não é a mera agitação de quem tem muitas coisas para fazer, mas antes o tornar real aquilo que Deus, em Jesus, pela força do Espírito me segredou ao coração.
Por isso, na ousadia de quem se faz peregrino, e como dizia S. Mello Breyner, diariamente "em cada gesto ponho solenidade e risco!".

Parabéns Alex

Senhor Jesus,
Fonte de Vida e nossa Paz,
hoje trago à Tua presença
este teu irmão
que na simplicidade de todos os dias
vai tentando perceber que rumos são os Teus...
Faz Senhor com que ele Te sinta sempre presente no meio das dificuldades,
ensina-o a procurar-Te no meio das dúvidas,
e quando vier o medo,
envolve-o com teus braços e faz-lhe experimentar
a alegria de ser Teu filho.

segunda-feira, setembro 17, 2007

medo do futuro?...



Uma miúda traquina como a Mafaldinha pode ensinar-nos muitas coisas...Sobretudo a não ter medo do futuro!
Este foi também o desafio lançado pelo Papa Bento XVI aos Jovens em Loreto
(Na Vigília 01 Setembro):

«hoje, infelizmente, com frequência uma existência plena e feliz é vista por muitos jovens como um sonho difícil e, em alguns momentos, quase irrealizável.Muitos dos seus conterrâneos vêem o futuro com apreensão e se questionam muito».Eles perguntam-se , dizendo «como integrar-se numa sociedade caracterizada por muitas e graves injustiças e sofrimentos? Como reagir diante do egoísmo e da violência que às vezes parecem prevalecer? Como dar um sentido à vida?». Não tenham medo, Cristo pode preencher as aspirações mais íntimas do seu coração! Podem existir sonhos irrealizáveis quando são suscitados e cultivados no coração pelo Espírito de Deus?». Deixem que eu lhes repita nesta tarde: cada um de vocês, se estiver unido a Cristo, pode fazer grandes coisas». Por este motivo, queridos amigos, vocês não devem ter medo de sonhar, com os olhos abertos, com grandes projectos de bem, e não têm que se desanimar pelas dificuldades.»
Na Eucaristia (Domingo 02 Set.)

"Não sigam o caminho do orgulho, mas aquele da humildade". Andem contra-corrente; não dêem ouvidos a vozes interesseiras que propõem modelos de arrogância e violência, prepotência e sucesso a todo custo, exibição e acúmulo de bens. Sejam atentos e críticos. Não tenham medo de optar pelo caminho do amor verdadeiro. Tenham um estilo de vida sóbrio e solidário, relações afectivas sinceras e puras, empenho honesto no estudo e no trabalho, e profundo interesse pelo bem comum.
Não podemos dizer que somos discípulos de Jesus, se não amarmos e seguirmos a sua Igreja. A Igreja é a nossa família, que nos faz experimentar a vida futura, iluminada pelo Amor. Sentir-se Igreja é vocação à santidade, é empenho de construir a comunhão e a unidade, superando toda resistência e incompreensão. Na Igreja aprendemos a acolher o próximo, os pobres, os últimos."
Um grande e belo desafio este para quem procura olhar e viver o futuro mergulhado na esperança do evangelho! e tu, como olhas o futuro?


domingo, setembro 16, 2007

99=1...a lógica de Deus que é Misericórdia

Uma partilha do meu encontro com a Palavra de Deus neste Domingo:

Na irreverência dos trilhos mal andados
chego a Ti cheio de mim
e quero partir p'ra longe...
longe de Ti e dos Teus,
longe de mim mesmo,
longe das páginas que a vida foi escrevendo
no livro desta história que sou eu.

Com o orgulho da amargura
faço-me à estrada
e caminho pela vereda do incerto.

E Tu, Pai,
despossuído de Ti,
deixando em Tua casa para fazer festa 99 justos
sais como louco pelas veredas do incerto,
caminhas procurando na noite o meu abismo de escuridão,
inquieto,
já não consegues ver os trilhos das veredas que amargamente degustei
pois choras Tu o meu pecado, o meu orgulho,
e vives angustiado por não saberes de mim,
onde estou, o que me falta....
e no meio dos trilhos do incerto,
depois de uma demanda triste e solitária,
deixo-me reencontrar por Ti.

O Todo-misericordioso
acolhe agora a miséria,
e eu, fatigado da canseira,
digo-te:

Pai,
eu não sou digno de ser chamado Teu filho
por todas as vezes em que me conformei com a injustiça,
em que me calei para não anunciar a verdade,
em que me comparei com os outros achando que era mais e melhor,
por todas as vezes em que vi no outro um inimigo e não o rosto de um filho Teu,
por tudo isto,
Pai, também eu, hoje, não sou digno de ser chamado Teu Filho...
E no entanto tu me cercas e envolves,
e como outrora ao pródigo
me repetes:
‘Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha.
Ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés.
Trazei o vitelo gordo e matai-o.
Comamos e festejemos,porque este meu filho estava morto e voltou à vida,
estava perdido e foi reencontrado’.

sábado, setembro 15, 2007

Qual é o problema?...

1-Qual a tua opinião sobre os padres católicos casados de rito oriental?
2-Qual é o problema de coexistirem no Ocidente padres celibatários e padres casados?...

São estas as questões que um anónimo preocupado com a temática me deixou, apesar do anonimato(!) naturalmente responderei a estas questões, mas antes há algumas coisas que gostava de dizer:

A reflexão que se pode ou deve fazer sobre a questão do celibato não deve ser vista com um instrumento de batalha entre os que acham que devia acabar ou ser opcional e aqueles que o defendem com o mesmo fervor que os anteriores, mas antes deve merecer de todos uma amadurecida reflexão e oração. Não estamos a tratar de banalidades. Estamos a falar de vidas que se entregam. De um projecto de vida acolhido, rezado, assumido...Seria bom que se perdesse a lógica do ataque vs contra-ataque e todos fossemos capazes de serenamente acolher e ouvir os que discordam e, naturalmente, celebrar também o dom de todos aqueles que continuam a abraçar uma vida que incluí também esta dimensão. Os aspectos que partilhei no último post sobre esta temática centram-se aqui, neste diálogo franco e aberto, onde ninguém é excluído ou excluí.
Há um aspecto no entanto que gostava de incluir aqui hoje e coloco-o sem recriminar ou olhando os outros de cima para baixo, faço-o por uma questão de honestidade de consciência:
quando algumas vezes são publicitados alguns casos de padres que abandonaram o ministério tenho ouvido, quer da comunicação social quer de alguns cristãos, quer dos próprios, colocar sempre a tónica na questão do celibato, aliás é isso que habitualmente faz título na noticia. Contudo quando leio mais atentamente aquilo que os próprios dizem vejo que a razão de fundo para esta "partida" não é o celibato mas sim uma vida de oração desorganizada, um activismo frenético que faz com que se fale muito de Deus mas pouco com Ele, o desejo de uma Igreja e de um Evangelho à medida do que lhes convém e não segundo a medida de Cristo (profundidade/convicção, liberdade, alegria). é por isso que julgo muito conveniente quando falamos do celibato dos padres (ou do fim dele) perguntarmo-nos (e perguntar-lhes) também (e os cristãos têm esse direito) como vai a vida de oração, a sua pobreza (embora não façam um voto), como vai a sua obediência (que outra coisa não é se não a disponibilidade para caminhar com outros partilhando alegrias e dificuldades), como vai a sua comunhão com as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens e mulheres do nosso tempo. é que o celibato não é uma "moldura decorativa" do ministério presbiteral, ele é um dos muitos aspectos daquilo que constitui a vida de um padre, e são esses muitos que fazem a unidade, quando um vai mal todos os outros vão atrás...
Nos breves anos que levo de ministério presbiteral, os que me conhecem sabem que sou profundamente Feliz! Feliz por acreditar em Deus, por ter acolhido o seu convite a ser padre, Sou feliz no celibato que abracei neste projecto de vida e por poder partilhar este dom com todos os meus irmãos baptizados. Feliz por poder ser para crentes e não crentes uma presença acolhedora e misericordiosa e um sinal da ternura e alegria deste Deus "loucamente apaixonado por aqueles que criou à sua imagem e semelhança". Sou feliz por ser Padre e por me sentir irmão de todos e de cada um daqueles e daquelas que fazem parte do Povo Santo de Deus.
Quantos às questões deixadas:
1- A minha opinião sobre os padres católicos casados de rito oriental é a seguinte: são tão padres quanto eu que procuram certamente ser com a vida um sinal de Cristo, o Bom Pastor, e que pelo ministério que a Igreja lhes confiou vão procurando semear no coração dos homens e mulheres do nosso tempo a Boa Nova de Jesus Cristo, Morto e Ressucitado.
2-Qual é o problema de coexistirem no Ocidente padres celibatários e padres casados?
Não vejo problema nenhum. Aliás eles já coexistem. Conheço dois desses padres casados com quem já conversei longamente (também sobre a questão do celibato, que eles próprios colocaram). A Igreja Católica de rito Oriental não é uma igreja de "segunda classe" nem os seus padres são "sacristães promovidos a padres". São parte da mesma Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica da qual faço parte pelo baptismo. São para mim uma riqueza extraordinária que devemos acolher, acarinhar, conhecer.

segunda-feira, setembro 10, 2007

Uma questão de fidelidade...

Vou procurar ao longos destes dias enunciar aqui numa linguagem simples alguns aspectos que penso ser necessário aclarar para que todos nos entendamos honestamente naquilo que dizemos e não criemos confusão "só porque sim!"
1. O celibato é uma das possibilidades, tal como o matrimónio, dada ao cristão para assumir e viver o seu baptismo e a radicalidade do evangelho.
2. O celibato não é uma realidade anarquica, que exista como um fim para si mesmo, ele é um apelo à extroversão, isto é, ao sair de si para se dar plena e totalmente aos outros, é desafio a um amor oblativo, tal como o é qualquer vocação cristã (logo a começar pelo nosso Baptismo!). daí que ao falarmos de celibato falamos sempre de amor, de um amor que, tal como o amor matrimonial, é chamado a dar-se todo a todos. A lógica da ternura, do afecto, é aqui que entra. o celibato não é por isso uma fuga à ternura e o afecto mas é antes um desafio a ser universalmente afectuoso, terno, próximo...
3. o celibato enquanto este "escândalo" para o nosso tempo tem a sua razão de ser na opção radical pelo Absoluto que é Deus. é Ele o ponto de partida e de chegada. E só porque se faz esta opção fundamental por Deus é que depois podemos deduzir daí a disponibilidade, a proximidade,...é por isso que ser celibatário não significa ser mais ou menos cristão, significa tão somente ter feito uma opção...e vivê-la!
4.O celibato não faz parte do nosso credo dominical mas é uma questão de fé. Só na lógica da Fé num "Deus Loucamente enamorado por aqueles que ama" é que se pode entender que tantos homens e mulheres (e note-se que não estou só a falar de padres!) ao longo destes 2000 anos continuem a abraçar esta opção como um dom e um sinal, para cada tempo, de que só Deus basta.
5.Ser celibatário é exigente não porque implique apenas e só contenção sexual (como alguns tanto gostam de sublinhar) mas porque é um apelo a viver um projecto de fidelidade que se renova todos os dias. e o que vale para um cristão celibatário vale igualmente para um cristão casado ou para um cristão em discernimento da sua vocação. A fidelidade só é verdadeiramente feliz quando se descobre peregrina, isto é, a fazer caminho...e a fidelidade para um cristão baptizado é isso mesmo, é fazer caminho, é recomeçar todos os dias como se fosse o primeiro, o único e o último.
Estes aspectos que procurei apresentar aqui numa linguagem muito simples (e outros que ficam por enumerar) não coincidem naturalmente com a lógica mercantil como alguns entendem a vocação cristã (os do "se assim fosse havia mais padres") nem lhes servem como ponto de partida para a reflexão.
No tempo em que vivemos, e que é um tempo bom apesar das muitas fragilidades que todos experimentamos ou criticamos, julgo não ser tempo para cruzar os braços e irmos pelo caminho mais fácil...a exigência da profundidade sempre fez parte do projecto de Jesus e do projecto que Ele nos deixou. Há naturalmente alguns escândalos, infidelidades,dificuldades, negá-los seria desonesto! Em muitas dioceses do mundo é também verdade que diminuiu o nº de vocações...mas a dificuldade é motivo para mudar tudo ou um tempo para aprofundar mais? Quem me conhece sabe que não gosto de soluções fáceis...mais do que padres, faltam à Igreja cristãos comprometidos...talvez porque nós padres andemos ocupados e distraídos com muita coisa que não é essencial.

sexta-feira, setembro 07, 2007

a propósito da inquietude...

Tenho reparado neste recomeçar uma certa inquietude que domina alguns acerca do celibato em muitos espaços na blogoesfera.

Há como que uma determinação hostil (que me parece não ser honesta) na forma como se coloca a questão. Ao longo dos próximos dias partilharei convosco aquilo que penso.
Procurarei fazê-lo não para ser polémico (olhando o que se diz e escreve como quem vê as coisas da varanda e apenas lança mais barulho para a confusão) mas a partir da minha experiência pessoal crente, livre e feliz do ministério presbiteral que a Igreja me concedeu e confiou e que eu responsavelmente vou procurando viver em cada dia.

Faço-o na convicção da fé pois, como dizia um dos meus mestres, é preciso distinguir para não confundir...e parece-me que a questão acerca do celibato não pode ser abordada como uma questão de consensos, democracias ou, se preferirem numa linguagem mais simples, uma questão do "a alguns dava jeito" ou "assim teriamos mais padres"...ou pior ainda "assim a Igreja era mais fiel ao projecto de Deus".

A seriedade e serenidade que nos merece a questão deve suscitar também a humildade e honestidade da reflexão.

re-começar...


No silêncio do tempo, e habitado agora pela paz de quem repousou em Deus, com Ele e n'Ele, regresso com a determinação de uma inquietude que se renovou na fidelidade, na alegria da partilha do caminho, na contemplação de muitos que já não via há algum tempo...


Recomeçar é próprio de quem parou para se avaliar, de quem se deixou olhar sem medo pelo Deus Fiel e Santo e se sentiu interpelado a ousar, a propor, a permanecer.


recomeço com a determinação humilde de quem sabe que a vida se faz de passos pequenos, mas com a certeza que nasce da confiança crente de que é a determinação do primeiro passo que marca o ritmo do caminho.


eis-me aqui!

domingo, agosto 12, 2007

Onde está o teu coração?...

A Palavra de Deus tem a dita de nos obrigar positivamente a revisitar o que fomos, a olharmos o que somos para projectarmos com a seriedade (e serenidade) de quem sabe que cada passo necessita de uma determinada determinação.
É assim uma vez mais com a Palavra deste Domingo...sem intimismos despersonalizantes, sem racionalismos gélidos que isolam, o Cristo, Vivo e Vivificador, traz-nos à memória o essencial da fé: a verdade do coração.
Estar vigilante, isto é, viver cada momento marcado por uma esperança que reflecte, que busca intimidade com o Mestre para ser ousada no amar, é tão simplesmente perceber por onde, em quem e como anda o meu (nosso) coração. Tudo isto traz consigo um horizonte de novidade permanente ao que sou que faz com que cada passo que dê tenha de partir sempre de dentro...
É esta constante provocação de Deus, em Cristo, na força do Espírito Santo que faz com que cada um passe do desespero à esperança e da banalidade à profundidade...mas para ser assim há um aspecto que é determinante: perceber o sítio em que me encontro. Só pode projectar aquel que faz memória...
Por isso, na ousadia a que o Evangelho sempre me desafia, fica para mim e para Ti a doce (in)quietação de Cristo: Onde está o teu coração?...aí está o teu "tesouro"!

Goreti...és dom de Deus!

Faz hoje 12 anos de votos perpétuo na vida consagrada uma mulher extraordinariamente simples...

Na pequenez da sua estatura
ela é um sinal da grandeza infinita do Eterno,
na radicalidade da sua entrega
ela é sinal do Deus louco que se dá todo para que todos o tenhamos plenamente,
no sorriso largo sempre estampado no seu rosto
ela é sinal do rosto belo, próximo e Alegre de Deus
na paixão pela pobreza
ela é sinal do Deus pobre que nos enriqueceu com a Sua Vida
na sua inquietação permanente
ela é sinal de que só Deus nos pacifica
na sua insurreição de amor
ela é sinal do Ressuscitado que traz em Seu corpo as marcas do Amor Eterno e Santo de Deus

Goreti, por tudo isto e por muito mais que as palavras não podem dizer, fica o silêncio orante e grato de quem hoje, de um modo muito especial, te levou nas mãos e no coração para te apresentar ao Deus Vivo e Vivificador.

o descanso do Guerreiro!...

É natural que durante os próximos dias notes alguma arritmia aqui "no coração de Deus"...vou uns dias de férias...irei dando noticias...à comunidade da blogoesfera que regularmente visita o coração, aos amigos, aos conhecidos e aos desconhecidos que por aqui passam BOAS FÉRIAS...eu regressarei no fim de Agosto com muito para partilhar!

quinta-feira, agosto 09, 2007

Edith Stein - vale mesmo a pena (re)descobri-la!

Irmã Teresa Benedita da Cruz - Edith Stein
(1891-1942)
Confesso que sou particularmente devoto e admirador desta grande mulher, desta grande Santa! aqui ficam algumas notas sobre a sua vida tão intensa e profundamente vivida...aguardo ansioso a publicação das suas obras em português...entretanto deixo-vos uma pequena oração escrita por Ela sobre o Espírito Santo:


Espírito Santo, ó doce luz, que me envolves e iluminas as trevas do meu coração, Tu guias-me como a mão de uma mãe. Tu és o círculo que me circunda e me encerra em si. Separada de Ti eu cairia no abismo do Nada do qual me elevaste até ao Ser. Estás mais perto de mim do que eu de mim mesma. Mas ainda assim és inacessível e incompreensível. Nenhum nome te pode conter, Espírito Santo, Amor Eterno.

Podes ler a história da sua vida aqui e Vale a pena ler também aqui a Homilia do Papa João Paulo II no dia da sua Canonização.

há um ano atrás...

Faz hoje um ano estava na Polónia, mais precisamente no campo de concentração de Auschwitz...

Naquele sitio só mesmo o silêncio pode dizer alguma coisa...interiormente fiquei muito magoado, ferido, choroso...
Como pode o coração do homem fazer tal coisa?
Ali redescobri ainda com mais intensidade a minha vocação: ser no mundo um sinal vivo e próximo do amor misericordioso de Deus. Sim, só a Misericórdia pode converter a inteligência e o coração, Só a Misericórdia pode mudar o mundo...
No silêncio de quem ali regressa em oração, prostro-me por terra, e trazendo na memória todos os que ali foram martirizados, rogo a Deus: Senhor tem Misericórdia de nós.

domingo, agosto 05, 2007

a doce (in)quietação de quando a vaidade morreu...

A propósito das leituras deste Domingo:

ò vaidade que me cercas,
que me prendes e enrolas...
seduzes-me como sereia no extenso areal da vida
onde sucesso e poder de mãos dadas cavam uma sepultura...
e assim, dormente mas ainda viva,
vais sussurrando o feitiço
de que tudo vale a pena,
sem regra, sem lógica,
pois no teu barco não há dor, nem amor, nem bondade...
resta-te a fealdade de quem se fechou em si
e fez do ódio e desespero remédio para o desassossego
de uma alma só, vazia, solitária...

hoje sou eu quem te grita, ò vaidade,
o grito da esperança na noite escura em que navegas:
não, não vale tudo o mesmo,
o que vale é a consciência
de um coração simples, terno, doce,
que se seduziu pelo eterno
e que proclama no frio da escuridão a luz fulgurante do amor,
pela boca de Paulo, esse outro paladino do amor,
sim, eu morri, e a minha vida está escondida com Cristo em Deus...
e quando de novo à porta me bateres
não mais deixarei que venhas agrilhoar-me
pois eu sei que quando já não há mais nada,
mais coisas, enganos, morte,
continuará a existir Aquele que foi, é e será:
Cristo, que é tudo e está em todos. (cf. Colossenses 3, 1-11)

como grão de Trigo...





Acabo de ler a noticia que dá conta da morte do Cardeal Lustiger. A partida deste Homem, deste Cristão, deste Bispo (e cardeal), traz-me à lembrança a frase do Senhor Jesus: "se o grão de trigo não morrer...". Ao ler a vida de Deus nos passos da sua vida vejo-o realmente como um grão de trigo que cai a terra e que certamente produzirá abundantes frutos no coração dos homens e mulheres do nosso tempo.

Na leitura da sua vida e de alguns dos seus escritos colho o desafio da simplicidade, da ousadia, da humildade, e da convicção que lhe vinha da oração. Era um homem de Deus dado ao seu povo, um bom pastor. Era uma testemunha da alegria e da misericórdia de Deus...sempre muito preocupado que os seus padres fossem no tempo aquilo que deviam ser: um sinal simples e próximo do Deus que a todos ama.

aos que por aqui passam recomendo a leitura de dois livros seus que estão traduzidos para português pela Gráfica de Coimbra: SEDE FELIZES e QUANDO DEUS ABRE A PORTA DA FÉ...(valem mesmo a pena!!!)

Quando for mais estudada a sua vida e o seu testemunho muito hão-de gritar também: "Santo Subito!"

Rezo por ele esta pequena prece:

Senhor nosso Deus acolhe no Teu coração de Pai este nosso irmão que passou pelo mundo fazendo o bem e que anunciou a todos a Tua alegria e misericórdia. ámen

quinta-feira, agosto 02, 2007

Na simplicidade de quem reza - Parabéns Hélia

Ò Deus, fonte de toda a paz,
hoje trago à Tua presença a minha amiga Hélia,
bem sabe como ela é um sinal discreto do Teu amor.
Na simplicidade de um coração humilde que Te procura na alegria
ela vai semeando ternura, afecto, proximidade...
Na hora da provação, Senhor,
coloca-a em Teu regaço,
envolve-a ternamente em Teus braços
e com o fogo do Te amor
sussurra-lhe ao coração:
Não temas, sou Eu,
estou aqui para ser a tua paz.

domingo, julho 29, 2007

"Abbá..." - Quando o evangelho nos (in)quieta

São muitos aqueles que sabendo que sou Teu
procuram um conselho, uma palavra, um gesto,
um silêncio acolhedor e íntimo,
uma proximidade que não julga...
em todas essas horas bem sabes que chamo por Ti: "Abbá..."
pois não posso ligar se ando desligado,
não posso amar se não Te deixo amar-me,
e de novo ressoa o grito de eterna gratidão:
"Abbá...estou aqui...sou Teu...guia-me segundo a Tua vontade"
hoje queria falar-te de todos,
mas tu os conheces,
sabes quem são, o que sentem e como Te procuram...
alguns com passos incertos,
ritmados pelo medo de não ser capaz,
outros com tenacidade buscam-Te
na determinação de quem sabe que é o primeiro passo que marca o ritmo do caminho...
há outros queTe buscam sem saber que é o Teu rosto que desejam...
Trazendo-os todos no coração,
hoje venho a Ti, Abbá,
e mergulhado no Teu coração de Pai,
Trago-te a inquietude e o desejo
de quem procura sabendo que já te encontrou
e de quem ama sabendo que desde sempre é amado,
e como Abraão imploro a Tua misericórdia
não só sobre os justos mas também para os injustos,
os tristes, os solitários,
os que ninguém quer e ninguém vê...
pois sinto e sei que o Teu amor de Pai é eterno
e Tu, o Todo misericordioso,
és o Deus da Alegria porque amas na gratuidade, na fidelidade,
com o Teu jeito simples de seres Deus, Pai, Abbá...
(cf. Lc 11, 1-13)

domingo, julho 22, 2007

Marta?... (a propósito do Evangelho deste Domingo)

Marta, Diz-me porque corres?

porque andas inquieta, perturbada, triste, só?...há tanto que esperas para parar,deixando que o silêncio te habite...e no entanto foges,foges de todos, foges de ti...

Marta, Diz-me porque corres?

eu sei que tens medo que as estrelas não brilhem na noite,sei que sentes o frio gélido do vazio, do sem sentido,até sei que experimentas a angústia de muito correr e tão pouco alcançar...

Marta, Diz-me porque corres?

sei que de demanda em demanda foste procurando um trilho novo e eternoonde em cada passo te fosse possível semear a ternura;sei que beijaste cada flor com gratidãoe foste ao encontro da aurora como sentinela que vê na noite o prelúdio da luz...

Marta,não me digas porque corres,diz-me antes para Quem...

é que eu quero ir contigo,e no serenar dos meus passos mais do que procurar quero que Ele me encontree me diga, segredando,não corras mais,uma só coisa é necessária (cf. Lc 10, 38-42)

sexta-feira, julho 06, 2007

ao ver-te...

Ó Mar imenso,
solidão em que em perco
por entre o bramir das ondas...
tu és o refúgio do silêncio,
a porto de abrigo onde a noite e o dia se encontram
para num romance eterno me trazerem a novidade do infinito.
e eu, aqui, sentado na doce lembrança do que sou,
vejo-te, ó mar,
trazer do horizonte a arca das recordações
dum tempo que foi teu e que já me não pertence...
na imensidão que és
perco-me perdendo o pé...
e como náufrago que é acolhido nos braços do Transcendente
mergulho em ti, ó mar,
para daí ressurgir
como viandante que trilha o desconhecido
com a determinação da esperança.

(Figueira da Foz, 18h50)

quarta-feira, junho 27, 2007

3 anos depois

Junho 2004, 16h

Com o coração em júbilo acolho de Deus o dom da ordenação presbiteral. 3 anos depois intensificou-se o entusiasmo, a paixão por servir e amar este Deus Louco e esbanjador de misericórdia e de servir cada homem e mulher (crente ou não) que Deus colocar no meu caminho.

Sinto-me chamado por Deus a ser neste tempo o rosto da Sua Ternura, misericórdia, compaixão e alegria!...

Na hora de fazer memória deste amor com que Deus sempre me quis tenho naturalmente de cantar de alegria e gratidão a Deus pelo dom da minha familia, da minha vida, da fé que Ele me concedeu, de todos os que activa ou silenciosamente contribuiram para que eu pudesse perceber que o Mestre me chamava.

Como as palavras são sempre poucas para expressar o que só o silêncio sabe dizer, aqui fica a prece de quem com humildade se coloca diante de Deus Trindade e procura com simplicidade ser "Todo em Deus, Todo com Deus, Tudo por Deus":

Senhor…
Dá-me pés de barro, para que,
quando vierem terrenos pedregosos,
eu sinta que só Tu és a força e o caminho…
Dá-me um olhar cristalino,
para que possa ver-Te sempre presente
em cada rosto desfigurado, marginalizado,…
Dá-me mãos abertas para acolher
todos os que são abandonados,
vivem na solidão,…
Dá-me um coração de carne para amar sem medida,
sempre…
Dá-me coragem para denunciar a mentira,
Humildade para assumir os meus erros,
Humor para rir das minhas asneiras,
E, quando no fim,
como grão de trigo eu cair à terra,
a minha Fidelidade e Felicidade,
nesta entrega total a Ti,
Façam germinar Homens e Mulheres
loucamente apaixonados
pelo anúncio do Teu Evangelho.
Ámen

domingo, junho 17, 2007

Marta....Parabéns!

Aqui fica Um presente muito simples para a minha amiga Marta F. que Hoje celebra o dom da Vida.
Apesar de estar longe sou muito grato a Deus pelo dom da sua amizade e pelo seu testemunho de simplicidade, ficam algumas palavras em jeito de oração que não transmitem tudo, mas que são o pórtico da minha gratidão a Deus:

Meu Deus,
na simplicidade da minha oração,
venho a Ti com o coração pleno de gratidão
nesta hora e neste dia em que celebramos o dom da vida da Marta.
Bem sabes que ela te busca generosamente na sua simplicidade,
com o seu "coração de criança" que se deixa encantar com as pequenas coisas,
e que é capaz de reconhecer-Te em cada irmão que sofre a angustia de não ser amado.
Por isso, Deus de Ternura,
peço-Te que hoje a envolvas de um modo mais intenso com a Tua graça,
com o Teu amor Fiel e Santo,
e a faças experimentar a alegria de ser única aos Teus olhos...
e quando as lágrimas percorrem o seu rosto seja a Tua consolação, Senhor,
a dar-lhe o alento para ver em cada dificuldade
uma oportunidade para escrever no livro da vida mais uma página
em comunhão plena conTigo, com Jesus, com o Espírito Santo.
Ámen.

(Leiria, 17 Junho 2007)

domingo, junho 10, 2007

Isabel (= casa de Deus)...

Pai,
eis-me aqui para te dar graças...
quero dizer-te poucas coisas,
pois quando se tem muito para agradecer
só o silêncio é capaz de o expressar.
é por isso que te louvo neste silêncio
que me faz cantar de gratidão
pelo dom da vida desta amiga e irmã.
Juntos partilhamos o entusiasmo
de querer que Te conheçam mais, que Te amem melhor
e que possam experimentar a bondade e a ternura do teu amor,
juntos crescemos na partilha da vida e dos medos,
dos sonhos, dos projectos tantas vezes amados e adiados...
neste dia em que Te dou graças pelo dom da sua vida
rogo-te, ò Pai,
para que preenchas todos os seus vazios e a faças experimentar a Tua paz.
àmen.

Obrigado Marina...

Meu Deus,
venho a ti com a simplicidade de uma criança,
quero agradecer-te o dom que tem sido para mim
esta jovem inquieta e irrequieta
que dia a dia vai trilhando comigo o caminho da Tua casa...
Tu que lhe concedes o dom de te mostrar vivo e ressuscitado,
fortalece-a no tempo da provação
e se alguma vez todos a abandonarem
envolve-a ainda mais ternamente em teus braços
e faz-lhe experimentar profundamente
que só Tu és a Luz terna e suave que leva mais longe...
Àmen

quinta-feira, junho 07, 2007

Fome de Deus...

Jesus Eucaristia,
aqui estou junto de Ti mais uma vez…
Tu que és o Pão da Alegria,
ensina-me a levar a tua alegria, a felicidade que propões, a todos e a cada um dos homens e mulheres que partilham comigo a sua existência.
Tu que és o Pão da Misericórdia
ensina-me a sentir-me sempre perdoado, acolhido, …
ajuda-me a perdoar sempre, a todos sem excepção…
Tu que és o Pão da Verdade
ensina-me a anunciá-la sem medo, com a vida,
ajuda-me a desmascarar a mentira que apenas nos ilude e nos afasta do Teu amor…
Tu que és o Pão dos Pobres
ensina-me a ser pobre, a viver sempre segundo a gratuidade, a partilhar sempre o que sou e tenho…
Tu que és o Pão da Simplicidade
ensina-me a ser puro de coração e a olhar todos como irmãos…
Tu que és o Pão da Vida
ensina-me a valorizar e a acolher todas as vidas, mesmo as mais desfiguradas…
Tu que és o Pão do Amor gratuito, o Pão que cria fome
ensina-me a fazer do meu coração um tabernáculo onde o pão se parte e reparte para todos os famintos…
Jesus Eucaristia faz com que em cada dia eu tenha fome de Ti!
Amén

sexta-feira, junho 01, 2007

sussurrando...

shiuuu! sou eu!
vim para estar contigo,
já vi que não me reconheces...
sim, estou contigo desde sempre,
amei em ti, chorei contigo,
provei o amargo sal de cada lágrima que sulcava o teu rosto
e traçava o trilho amargo da confusão, do sem sentido...
na escuridão da noite eu sussurrei-te: "não tenhas medo"
mas tu achaste sempre que a bruma e a neblina eram maiores que o teu querer...
e quando quis recordar-te o valor do sorrisso e a ousadia do sonho,
eu disse ao mar:
fala-lhe das noites com estrelas,
do luar que cintilante sobre ti devolve aos sonhos a imensidão futura,
do sol que ao despontar pela aurora
traz consigo o doce perfume da esperança..
e aí o mar, calando o bramir das ondas,
e plano como um espelho
respondeu-me em jeito de sussurro:
sou um espelho que te reflecte,
ò silêncio,
só assim, calando-me, poderei dizer o que me pedes,
pois só assim tu és todo em mim e eu todo para ti.


(S. Pedro de Moel, 23 Maio 2007)

quarta-feira, maio 23, 2007

Ele vem aí...


A serena expectativa de todos os crentes para acolherem o Espírito Santo deve levar-nos a fazer algumas perguntas essenciais para encontrarmos também as respostas fundamentais.

"Quem é o Espírito Santo? qual a minha relação com Ele? de que forma O vejo presente no mundo, na Igreja?"...

Estas não são questões marginais, no meu entender elas são decisivas, para que a "confusão não nos confunda" e para que não olhemos para o Espírito Santo apenas e só como "aquela pomba que desceu sobre Jesus" ou "a chama de fogo que desceu sobre os apóstolos".

o Espírito Santo Não é um apêndice decorativo do mistério amoroso de Deus Trindade, nem é um "passarinho" que ande por aí meio perdido esvoaçando sem rumo por onde se lembra...

Ele é o amor eterno e terno de Deus, é este "fogo" que nos desassossega para o bem, para a verdade, para a comunhão na diversidade; é a ousadia que nos faz caminhar em Deus e com Deus, é Aquele que nos revela a intimidade do Pai e do Filho é Aquele que nos permite discernir o que é de Deus no meio da ambiguidade, da mentira, do superficial.

O Espírito Santo é isto e muito mais, porque é Deus com o Pai e o Filho, se calhar mais do que palavras Ele é essencialmente silêncio...e é assim que eu O espero no próximo Pentecostes, num silêncio adorador e disponível, íntimo e próximo, simples e alegre, na certeza de que Ele vem!

segunda-feira, maio 21, 2007

A libertação do oprimido!...

Depois de algum tempo engessado hoje foi o dia da "libertação do oprimido".
agradeço a todos os que se fizeram próximos neste momento de uma particular limitação.
Para que possam "contemplar" o meu maravilhosos pézito agora já não engessado mas em franca recuperação, aqui fica uma foto:

Eu sei que está com um bocadinho de mau aspecto, mas foi o que se pôde arranjar...

domingo, maio 20, 2007

Hoje é dia de Festa...


Há 365 dias atrás nascia na blogoesfera este espaço para sussurrar ao coração dos homens e mulheres do nosso tempo a Bondade, a Ternura, a Alegria e a Misericórdia do nosso Deus!

Um ano depois, e revendo o caminho percorrido, o coração continua a pulsar na certeza de que o Amor é sempre maior...sobretudo quando é "fraco", quando vai contra-corrente (e não fica mudo diante da superficialidade, do banal, do sem sentido), quando não desiste diante das dificuldades...Começa mais uma ano para o Coração de Deus, e Ele continuará a dizer-nos sempre: "Eis o coração que tanto ama ...".


Obrigado a todos e todas que fazem deste blog um pequeno espaço de partilha da fé e encontram nele um trilho simples e alegre para o Coração de Deus.