terça-feira, março 20, 2007

Se soubesse que Deus vem sempre ter contigo...(Ter. IV - Quaresma)

Se soubesse que Deus vem sempre ter contigo...O mais importante é descobrir que Ele te ama, mesmo quando tu pensas que não O amas.
Cristo espera ser acolhido por cada um de nós. Se tu não consegues dar-Lhe uma resposta, Ele respeita o teu silêncio. Mas quando te abres e O acolhes, por acção do Espírito Santo, cria dentro de ti uma comunhão íntima com Ele.
Na surpresa dessa comunhão, Ele habita no mais fundo da tua alma. A sua presença é tão clara como a tua própria existência.
Tens dúvidas? Escavam-se em ti como que buracos de incredulidade? Contudo, permaneces na fidelidade. A dúvida, por vezes, é apenas o outro lado da fé. Na invisibilidade da Sua presença, o Ressuscitado poderia dizer-te: “sei que há dias cinzentos e opacos na tua vida. Conheço as tuas dificuldades e a tua pobreza, mas apesar disso és abençoado, habitado por fontes vivas, fontes de fé escondidas no mais profundo de ti mesmo.
A surpresa da presença de Jesus, o Ressuscitado, cria em ti uma morada de luz. Ela ilumina mesmo quando tudo parece envolto em obscuridade e brilha como brasas debaixo da cinza.
Por vezes perguntas-te a ti mesmo: o fogo que há em mim vai apagar-se? Não foste tu que o acendeste. Não é a tua fé que cria Deus, não são as tuas dúvidas que O vão lançar para o nada.
Lembra-te: o simples desejo de Deus é já o começo da fé. Quando te abres à vida eterna, a confiança da fé começa e não tem mais fim...
(Irmão Roger, Comunidade ecuménica de Taizé)
A compaixão é vulgarmente confundida com a “caridadezinha”, isto é, com um amor cristão infantilizado. Falar da compaixão é falar dum coração que se ajoelha diante dos irmãos e que se torna servo da sua dignidade mais profunda.E eu, como é que vivo esta dimensão fundamental da minha fé?...
Jesus,
Luz para as minhas trevas,
hoje venho a Ti
na humildade dum coração que quer servir mais e melhor.
às vezes custa-me encontrar-Te no rosto dos irmãos,
custa-me servir-Te na humildade de quem não espera nada em troca,
e quantas vezes o meu amor não é apenas dar do que me sobra...
Neste dia, Senhor,
aqui me tens sem máscaras, reconhecendo a minha fragilidade.
Eis-me aqui, disposto a deixar-me conduzir só por Ti,
para que o meu amor seja autêntico,
e o meu servir generoso,
pois só assim os meus gestos
podem ser sinal da Tua paterna compaixão.

4 comentários:

Paulo de Tarso disse...

Olá :-),
só para deixar um abraço de Parabéns... no coração de Deus!
Levanta-te que é tempo de libertação!

elsa nyny disse...

Amen!!!
Adorei este bocadinho de Oração, uma pausa, antes de começar o dia...a correr!!

beijitos!!!
:)

Maria João disse...

Obrigado pelas sementes que tens colocado nos nossos corações esta Quaresma.

Admito que vou sentir falta de começar o dia sem as reflexões que envias. Mas estão todas guardadas. Para as reler e para as utilizar com outras pessoas, como por exemplo na catequese... Desculpa lá o plágio! Eh! EH! EStá descansado que digo que foste tu que enviaste.

Deus te abençoe

J disse...

No Coração de Deus,

Este é um post que me tocou imenso, obrigado por nos dar a conhever este texto lindissimo do irmão Roger.

Um grande beijinho em Cristo