domingo, julho 29, 2007

"Abbá..." - Quando o evangelho nos (in)quieta

São muitos aqueles que sabendo que sou Teu
procuram um conselho, uma palavra, um gesto,
um silêncio acolhedor e íntimo,
uma proximidade que não julga...
em todas essas horas bem sabes que chamo por Ti: "Abbá..."
pois não posso ligar se ando desligado,
não posso amar se não Te deixo amar-me,
e de novo ressoa o grito de eterna gratidão:
"Abbá...estou aqui...sou Teu...guia-me segundo a Tua vontade"
hoje queria falar-te de todos,
mas tu os conheces,
sabes quem são, o que sentem e como Te procuram...
alguns com passos incertos,
ritmados pelo medo de não ser capaz,
outros com tenacidade buscam-Te
na determinação de quem sabe que é o primeiro passo que marca o ritmo do caminho...
há outros queTe buscam sem saber que é o Teu rosto que desejam...
Trazendo-os todos no coração,
hoje venho a Ti, Abbá,
e mergulhado no Teu coração de Pai,
Trago-te a inquietude e o desejo
de quem procura sabendo que já te encontrou
e de quem ama sabendo que desde sempre é amado,
e como Abraão imploro a Tua misericórdia
não só sobre os justos mas também para os injustos,
os tristes, os solitários,
os que ninguém quer e ninguém vê...
pois sinto e sei que o Teu amor de Pai é eterno
e Tu, o Todo misericordioso,
és o Deus da Alegria porque amas na gratuidade, na fidelidade,
com o Teu jeito simples de seres Deus, Pai, Abbá...
(cf. Lc 11, 1-13)

3 comentários:

ana rita disse...

revi-ve nas tuas palavras... porque sentes, sabes (!) que este Deus de Misericórdia e Amor habita em cada um que se deixa habitar pela sua ternura!

Carlos Godinho disse...

É reconfortante ler o que escreves. Não só pelo modo como escreves, mas porque traduzes nas tuas palavras o coração DAQUELE que é! Entretanto,obrigado também pelo teu comentário e amizade.
Pe. Carlos Godinho

Anónimo disse...

Que bom encontrar uma partilha nova...que bom sentir-me de novo interpelada, por questionar mais uma vez a minha proximidade a este Deus...como tu dizes:
"Sabes quem são, o que sentem e como Te procuram...
alguns com passos incertos,
ritmados pelo medo de não ser capaz...Trago-te a inquietude e o desejo de quem procura sabendo que já te encontrou...". Fiz questão de citar o que mais me tocou! Um abraço no Pai que nos cruzou caminhada, Ida