domingo, agosto 05, 2007

como grão de Trigo...





Acabo de ler a noticia que dá conta da morte do Cardeal Lustiger. A partida deste Homem, deste Cristão, deste Bispo (e cardeal), traz-me à lembrança a frase do Senhor Jesus: "se o grão de trigo não morrer...". Ao ler a vida de Deus nos passos da sua vida vejo-o realmente como um grão de trigo que cai a terra e que certamente produzirá abundantes frutos no coração dos homens e mulheres do nosso tempo.

Na leitura da sua vida e de alguns dos seus escritos colho o desafio da simplicidade, da ousadia, da humildade, e da convicção que lhe vinha da oração. Era um homem de Deus dado ao seu povo, um bom pastor. Era uma testemunha da alegria e da misericórdia de Deus...sempre muito preocupado que os seus padres fossem no tempo aquilo que deviam ser: um sinal simples e próximo do Deus que a todos ama.

aos que por aqui passam recomendo a leitura de dois livros seus que estão traduzidos para português pela Gráfica de Coimbra: SEDE FELIZES e QUANDO DEUS ABRE A PORTA DA FÉ...(valem mesmo a pena!!!)

Quando for mais estudada a sua vida e o seu testemunho muito hão-de gritar também: "Santo Subito!"

Rezo por ele esta pequena prece:

Senhor nosso Deus acolhe no Teu coração de Pai este nosso irmão que passou pelo mundo fazendo o bem e que anunciou a todos a Tua alegria e misericórdia. ámen

2 comentários:

Aliocha disse...

Ignorava que o Cardeal Lustiger tinha morrido...

Para mim, que tive o privilégio de o ouvir algumas vezes (em Paray num encontro da Comunidade Emanuel; no Congresso para a Nova Evangelização) e de conhecer um pouco da sua vida, isso quer dizer que há mais uma grande testemunha de Deus, que Ele chamou a Si.

Talvez o que mais me marcou foi o seu livro "La Promesse". Foi aí que tomei consciência de serem os Judeus nossos irmãos na fé, de o Cristianismo não ser uma religião "separada" do Judaísmo, mas a mesma religião levada à sua perfeição, a religião dos Judeus completada por Cristo.

Obrigado pela notícia.

Anónimo disse...

Ao ler o seu post ocorre-me dizer que só sendo como o "Grão de Trigo" a vida vale realmente a pena. Que é o mesmo que dizer que só dando a vida aos outros a vida têm sentido. É dificil e até muito exigente, mas só assim vale a pena.
Uno-me a todos que rezam pelo Cardeal na certeza de que ele já "não vê como num espelho, mas vê certamente face a face".

a vossa irmã em Cristo

patrícia Vilarinho