quinta-feira, março 14, 2013

uma ‘Igreja a céu aberto’...



Papa Francisco, vou falar-te do meu primeiro encontro contigo:



«Estava na Praça de S. Pedro. Completamente encharcado. Rezei, cantei, fiz silêncio. Estava acompanhado de vários italianos, meus colegas da Universidade Salesiana, e por dois Portugueses, um deles o Pe. Pedro Viva, estimado irmão, amigo e companheiro de viagem. Subitamente começa a aparecer o fumo que anunciava a tão desejada hora!



Dentro (e fora de mim) uma explosão de alegria. Estava ali, com milhares de irmãos, numa praça que era uma “igreja ‘católica’a céu aberto”. Curiosidade e serenidade foi o que senti ao ver aproximar-se o cardeal Tauran que tinha como missão fazer o “alegre anuncio”. O eleito não é um dos que fazia parte do elenco pré-anunciado em toda a comunicação! À minha volta alguém pergunta: “mas, quem é?”. Respondo: “é o cardeal de Buenos Aires, na Argentina!”. Alegre com a escolha ‘geográfica’, apesar de não conhecer muito de ti, mais alegre fiquei com o nome que escolheste.



A América Latina não é ‘o fim do mundo’ mas é, sem dúvida, um convite a pormos fim a um certo mundo ‘eurocêntrico’ e ‘egocêntrico’ de quem vive a fé de um modo demasiado formal, rico de ritos e tantas vezes ‘vazio de vida’.

Agrada-me por isso, para usar as tuas palavras Papa Francisco, que o novo Papa venha do “fim do mundo”…e isto já diz muito! Não advogas para ti o direito de ser o ‘princípio’ ou o ‘centro’ mas colocaste, desde o início, a partir do fim, dos últimos. E se isto parecer estranho, sobretudo aos sempre dotados e sabedores comentadores do momento, creio que se confirma facilmente pela escolha que vem ‘agrafada’ a esta, o teu ‘novo’ nome: FRANCISCO.



Partir dos pobres e com os pobres, fazendo brotar uma Primavera (uma Páscoa!) de esperança para a Humanidade, propondo com audácia o Evangelho e testemunhando-o com a alegria dos gestos e sinais proféticos. Não estou com isto a ‘fazer o programa’ para o teu ministério Papa Francisco, és tu quem guiará a barca de Pedro e a ti serei totalmente fiel, estou apenas a expressar com palavras o que vivi, o que sinto e como olho este caminho de irmãos que tu nos pede que façamos.



Mas, voltemos à praça, à ‘Igreja a céu aberto’. Eu estava ali, queria ver-te e queria ouvir-te! Uma vez mais a surpresa de Deus: um solene “Fratelli e sorelle, buonasera!”. É assim que tu, o Papa, saúdas não simplesmente os teus ‘devotos/fiéis’ mas a humanidade. Começas como um irmão que dialoga com o outro, num tom familiar, mesmo quando ‘já é noite’! E como se não bastasse esta ‘provocação’ ao ‘diálogo’ (fraterno), eis que nos fazes um convite muito claro: ‘rezemos todos juntos…!’.



Primeiro a oração, depois o caminho!

«Bispo e PovoUm caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade».



Emocionado, ainda tentei esconder algumas lágrimas, mas correram discretamente pela cara abaixo. E como não ‘estremecer’ com este teu pedido: «antes de o Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que me abençoe a mim; é a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo. Façamos em silêncio esta oração vossa por mim». Uma vez mais entre os ‘últimos’ e com todos…para todos! Porque é:

«é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna» (da oração atribuída a S. Francisco)



Quanto a mim, Papa Francisco,

este teu irmão fará todos os dias ‘silêncio’ para te dizer como os peregrinos a caminho:



«Por amor dos meus irmãos e amigos,
pedirei: "A paz esteja contigo!"
Por amor da casa do Senhor, nosso Deus,
pedirei o bem-estar para ti»
(salmo 122).



Obrigado PAPA FRANCISCO pelo que és e pelo que já suscitas em todos nós!»

3 comentários:

Maria do Carmo disse...

Obrigado! E uma saudação ao Pe. Pedro Viva

Alemazilda Vaz disse...

Lindas e belas palavras querida amigo Padre Luis. Aqui lacrimejando ainda, juntando ao vosso texto a emoção estendida de ontem. Obrigada e até mais. Alemazilda

Alemazilda Vaz disse...

Lindas e belas palavras querida amigo Padre Luis. Aqui lacrimejando ainda, juntando ao vosso texto a emoção estendida de ontem. Obrigada e até mais. Alemazilda